,
Clique e
assine o JP
Televendas: 3428-4190
Classificados: 3428-4140
Comercial: 3428-4150
Redação: 3428-4170
Últimas notícias:
  • Foi brincadeira o comentário em foto de Túlio e Fátima Bernardes, diz Maria Gadú
  • Novas instalações imersivas fazem passeio pelo tempo e espaço no Farol Santander
  • Sarah Jessica Parker anuncia retorno de Carrie Bradshaw para 'apoiar causa'

Terra sem lei
Claudete Campos
26/07/2018 08h09
  |      
ENVIAR     IMPRIMIR     COMENTE              
 
Combater o tráfico de drogas é uma tarefa árdua, que exige emprego de recursos de inteligência policial, como informações com fontes, campanas por meses e meses a fio, para ver a movimentação dos envolvidos e, em muitos casos, até mesmo escutas telefônicas autorizadas pela Justiça. E os policiais civis também têm que estar antenados com as mudanças do modus operandi das quadrilhas, para obter sucesso nas investidas policiais.
 
Ontem, os policiais da Dise (Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes) desarticularam uma quadrilha com oito integrantes envolvidos com o tráfico de drogas, no distrito de Anhumas. A operação “Atrás da Cerca” também resultou na prisão de uma mulher e de um adolescente de 17 anos. 
 
O que foi mais grave, nesse caso, é que os traficantes ameaçavam de morte os moradores caso avisassem a polícia sobre a venda de drogas na região. Outro fato curioso é que os traficantes agiam no distrito, que fica a 30 quilômetros do Centro da cidade, em uma demonstração de que os traficantes podem estar evitando os bairros e áreas centrais, justamente para furar o bloqueio da polícia. Pode ser que os bandidos acreditassem que estariam fora do radar da polícia a partir da montagem da base de operações no distrito.
 
Diante de uma denúncia tão grave, os policiais tiveram de agir. Afinal de contas, Piracicaba não pode ter bairros ou distritos que sejam dominados por quadrilhas, como ocorrem nos morros do Rio de Janeiro. Pelo que a polícia apurou, os integrantes da quadrilha promoviam o terror no distrito. Chegaram a vender e consumir drogas na rua, em plena luz do dia, na frente de crianças, famílias, idosos, além de exibirem armas de fogo e ameaçarem os moradores de pelo, pelo que apuraram os policiais.
 
Diante de tão graves denúncias, os policiais não poderiam deixar de agir. Até mesmo para levar um pouco de paz para os habitantes da localidade. E até mesmo para conter os tentáculos da organização criminosa e cortar o mal pela raiz. Para se ter uma ideia do grau de sofisticação do esquema, os envolvidos exerciam funções específicas dentro da quadrilha, como normalmente ocorre nos morros. Pelo que os policiais disseram, o local estava se transformando em uma terra sem lei. 
 
Essa ação policial foi de suma importância para levar um pouco de sossego aos moradores. E também para evitar execuções de usuários endividados com drogas e até mesmo cemitério de desafetos ou delatores. Esse trabalho contra o tráfico é incessante. A ação da polícia pode ser um demonstrativo aos traficantes que poderão ser os próximos. Impedir o tráfico é impossível. Mas, neste caso, a polícia levou ordem ao bairro. 
 
 
Voltar

Comentários

Nome:
E-mail:
Comentário:
 

  • Seja o primeiro a comentar

23/07/2018 09h06 Claudete Campos Ar ruim
19/07/2018 08h33 Claudete Campos Feminicídio
14/07/2018 11h02 Claudete Campos Gripe e mortes